quinta-feira, 26 de abril de 2012

APRENDA A TER UM INFARTO! É muito simples!

VAMOS INFARTAR!
COM UM POUCO DE ESFORÇO     CONSEGUIREMOS!

SERÁ QUE VOCÊ QUER TER UM INFARTO?    
 
DOZE CONSELHOS
PARA TER UM INFARTO FELIZ!!!
Dr. Ernesto Artur - Cardiologista
Quando publiquei estes conselhos     'amigos-da-onça' em meu site, recebi uma enxurrada de e-mails, até mesmo do     exterior, dizendo que isto lhes serviu de alerta, pois muitos estavam     adotando esse tipo de vida inconscientemente.
1. Cuide de seu     trabalho antes de tudo.
As necessidades pessoais e familiares     são secundárias.
2. Trabalhe a até     tarde,     sábados o dia inteiro e, se puder     também aos domingos.
3. Se não puder permanecer no escritório     à noite, leve trabalho para casa e trabalhe até tarde.
4. Ao invés de dizer não, diga sempre sim     a tudo que lhe solicitarem.
5. Procure fazer parte de todas as     comissões, comitês, diretorias, conselhos e aceite todos os convites para     conferências, seminários, encontros, reuniões, simpósios etc.
6. Não se dê ao luxo de um     café da manhã ou uma refeição tranqüila. Pelo contrário, não perca tempo e     aproveite o horário das refeições para fechar negócios ou fazer reuniões     importantes..
7. Não     perca tempo fazendo ginástica, nadando, pescando, jogando bola ou tênis.     Afinal, tempo é dinheiro.
8. Nunca tire férias, você não precisa     disso. Lembre-se que você é de ferro. (e ferro , enferruja!!. .rs)    
9. Centralize todo o trabalho em você, controle e examine tudo para     ver se nada está errado.. Delegar é pura bobagem; é tudo com você     mesmo.
10. Se sentir que está perdendo o ritmo,     o fôlego e pintar aquela dor de estômago, tome logo estimulantes,     energéticos e anti-ácidos. Eles vão te deixar tinindo.
11. Se tiver dificuldades em dormir não     perca tempo: tome calmantes e sedativos de todos os tipos. Agem rápido e são     baratos.
12. E por     último, o mais importante: não se permita ter momentos de oração, meditação,     audição de uma boa música e reflexão sobre sua vida. Isto é para crédulos e     tolos sensíveis.
Repita para si: Eu não perco tempo com bobagens.    

Duvido que voce não tenha um belo infarto se   seguir os conselhos acima!!!

IMPORTANTE:

OS ATAQUES DE   CORAÇÃO
Uma nota   importante sobre os ataques cardíacos..
Há outros sintomas de ataques   cardíacos, além da dor no braço esquerdo. Há também, como sintomas vulgares,   uma dor intensa no queixo, assim como náuseas e suores abundantes.  
Pode-se não sentir nunca uma primeira dor no peito, durante um ataque   cardíaco. 60% das pessoas que tiveram um ataque cardíaco enquanto dormiam, não   se levantaram... Mas a dor no peito, pode acordá-lo dum sono profundo.  
Se assim for, dissolva imediatamente duas Aspirinas na boca e   engula-as com um bocadinho de água. Ligue para Emergência (192, 193 ou 190) e   diga ''ataque cardíaco'' e que tomou 2 Aspirinas. Sente-se numa cadeira ou   sofá e force uma tosse, sim forçar a tosse pois ela fará o coração pegar no   tranco; tussa de dois em dois segundos, até chegar o socorro.. NÃO SE DEITE   !!!!

quarta-feira, 25 de abril de 2012

As imagens dizem tudo.














ALTAS HABILIDADES E SUPERDOTAÇÃO: UM ESTUDO DE CASO (Seilla Carvalho)

“O superdotado/talentoso/portador de altas habilidades é aquele indivíduo que, quando comparado à população geral, apresenta uma habilidade significativamente superior em alguma área do conhecimento, podendo se destacar em uma ou várias áreas.” (ConBraSD – Conselho Brasileiro de Superdotação)
RELATO DO ESTUDO DE CASO
A aluna G. M. com 9 anos, cursando o 6º ano evidencia grande capacidade de concentrar-se na realização de atividades de seu interesse; prefere empenhar-se em atividades coletivas como discussão de um tema, projetos e produção de relatórios.
Tem preferência por estudar sozinha em algumas ocasiões: leitura de um livro, estudo de um tema escolhido/ elaboração de projeto. Contudo, solicita a orientação do professor sempre que necessita, articulando com facilidade e rapidez as ‘dicas’ dadas. Apresenta resistência a regras impostas, especialmente quando percebe que as mesmas prejudicam o grupo e contrariam o seu senso de justiça. É perfeccionista, demonstra insatisfação nas atividades rotineiras da escola e frustração diante de seus próprios erros. Apresenta impulsividade e maior sensibilidade para as vivências afetivas.
Gosta de participar oralmente opinando espontaneamente ou quando interrogada diretamente. Concentra-se em exposições orais feitas pelo professor, colegas ou palestrantes, bem como em atividades individualizadas. Envolve-se em dramatizações, simulações e jogos didáticos demonstrando satisfação e facilidade de assimilação dos conteúdos abordados.
Apresenta excelente raciocínio verbal e/ou numérico, habilidade de generalizar, transferir aprendizagens, perceber relações, abstrair e lembrar-se de informações, bem como um vocabulário rico e avançado. É criativa e demonstra disposição para experimentar propostas desafiadoras.
A estudante destaca-se pela inteligência e rapidez de raciocínio; é bem determinada em sua área de interesse, empenhando-se e envolvendo os colegas quando em equipe. Comunica-se bem oralmente e por escrito. É curiosa, autoconfiante e demonstra satisfação em buscar informações e ao alcançar os objetivos pré-fixados.
Apresenta um distanciamento de seus pares relacionando-se melhor com pessoas mais velhas. Se expressa muito bem, organiza as tarefas e é respeitada pelos seus pares.
ANÁLISE DO ESTUDO DE CASO
Dentre alguns aspectos relacionados ao caso em análise é possível pontuar:
- A aluna aos nove anos de idade cursa o 6º ano estando de certo modo adiante em termos de seriação ano/idade, em relação boa parte dos alunos matriculados no ensino regular, e com aproveitamento diferenciado no que tange ao aspecto acadêmico;
- A aluna se sente motivada ao estudar sozinha, sobretudo, diante do objetivo de elaborar idéias específicas ou organizar planejamento de algum projeto;
- Indica fazer associações próprias, apresentando elaborações de pensamento independente, diante do que lhe é sinalizado no processo em estudo;
- Apresenta raciocínio verbal com manipulação simbólica acima do usual, fazendo associações inusitadas tendo excelência no campo linguístico;
- Insatisfação diante das atividades rotineiras, tendo como contraponto certo perfeccionismo que a leva à frustração diante dos equívocos cognitivos;
- Interesse pelo sentimento das pessoas e indignação frente às injustiças;
- Distanciamento das crianças da sua idade, buscando o contato com pessoas mais velhas, intelectualmente e emocionalmente receptivas.
Características comportamentais, tipo de superdotação, área de interesse, potencialidades, dificuldades e estilo de aprendizagem:
Além de postura madura no que se refere à natureza moral e relações interpessoais, a aluna apresenta características que abrange elementos, tais como: receptividade ao outro, ótima comunicabilidade; iniciativa na busca por resolução de problemas, excelente sistematização do conhecimento, criatividade e expressividade interessantes, alto nível de atenção à tarefa; apresenta preservação da individualidade sem prejudicar seu excelente nível de cooperação; automotivada e com alto nível de liderança.
As dificuldades se concentram na resistência em atender às regras impostas; diante do perfeccionismo, frustração quanto aos próprios erros, alguma impulsividade e emotividade, bem como distanciamento dos seus pares.
O seu comportamento sinaliza para uma combinação de traços que envolvem altas habilidades/desempenhos nos seguintes campos (De acordo como os Tipos Característicos de Superdotação – MEC/1994): Intelectual com flexibilidade e fluência de pensamento associativo, lingüístico, ideativo, simbólico, conceitual e criativo; revela pontos importantes na área acadêmica, pois demonstra envolvimento ao se aprofundar em conhecimentos a fim de atingir objetivos pré-fixados.
Diante de um raciocínio inovador, apresenta potencialidades para um talento especial nas artes literárias, dramáticas, plásticas, sendo observado um tipo de alta habilidade que envolve as inteligências criativas e sociais.
Seu estilo de aprendizagem indica para certo autodidatismo, contudo, com pontuações importantes e necessárias por parte do (a) mediador (a). Visto que a aluna se sente motivada diante das assertivas, daquilo que lhe é verbalizado, das discussões, etc. Sendo importante para atingir metas anteriormente definidas.
Em termos de estilo cognitivo da aprendizagem, a aluna manifesta (ao aproximar-se do objeto do conhecimento) a utilização dos campos visual e cinestésico, porém, com importante sinalização para o campo auditivo e secundariamente indica a utilização do campo visual como um dos canais de apreensão do conhecimento. Manifesta um avançado resultado acadêmico diante de um planejamento de aulas bem definido, estimulante e motivador.
Atividades pedagógicas e/ou serviços a serem disponibilizados aos alunos com AH/SD:
Em linhas gerais um (a) aluno (a) com altas habilidades/superdotação, poderá expressar sentimentos e expectativas elevadas com relação ao espaço sistematizado de aprendizagem (escola) bem como a metodologia e didática envolvidas no trabalho.
No caso em estudo é necessário por parte do (a) mediador (a) um olhar bastante diferenciado, visto que é imprescindível um trabalho que estimule a criatividade e motive a aluna no seu desejo de estar no espaço acadêmico. Contemplar a abordagem pedagógica por projetos com temáticas diversas, vislumbrando as áreas de interesse da aluna.
Além das produções com portadores de texto diversificados, que viabilize a multidisciplinaridade/interdisciplinaridade/transdisciplinaridade e promova questões desafiadoras nas áreas científicas, quanto à resolução de problemas, análises de raciocínio lógico-matemático, dentro de um contexto pertinente, pontuados no cotidiano, expressos no pensamento e hábitos comuns; pesquisas e debates dentro de eixos temáticos pautados por exemplo, nas Ciências da Vida (biológica, psicológica, filosófica, social) e/ou nas relações pertinentes ao Universo geralmente trazem grande prazer e promovem aprofundamentos significativos no campo da cognição; expressão artística, promoção de estudos de campo com proposta de observação diferenciada e relatos de casos, atividades que explorem o raciocínio criativo, pensamento intuitivo e a inovação do pensar. A construção de portfólio se faz necessária visto que a aluna poderá sentir-se autora do seu conhecimento e com condições de auto-avaliar, juntamente com o(s) / a(s) mediadores (as), os avanços e redirecionar-se melhor na aquisição e implementação de novos conceitos.
São exemplificações do que pode ser planejado, estruturado de forma a atender as particularidades da aluna. Que indica fortemente necessidade de mediação no campo da inteligência criativa, bem como estímulo na flexibilidade do pensamento e quanto aos julgamentos diante das regras e normas de conduta (autocrítica exacerbada).
É importante o encaminhamento para uma equipe interdisciplinar com intervenções pedagógicas dentro de estratégias que promovam respostas criativas ressaltando as possíveis habilidades, potencialidades da aluna, orientando os professores quanto às especificidades demonstradas, possibilitando assim, a maximização do seu desenvolvimento integral.
Diante das sugestões quanto às medidas de intervenção, o Atendimento Educacional Especializado (AEE) sinaliza:
Importante que aluna seja desafiada e que lhe sejam apresentadas atividades que estimulem a persistência nas tarefas, além de promover momentos de estudo focados na troca de idéias como produto final.
Um plano de trabalho individual é interessante já que é norteado no pressuposto de que cada necessidade traz a sua singularidade e também a complexidade vivida por cada sujeito diante da manifestação das suas potencialidades.
Promoção de um ambiente que favoreça o aprendizado significativo _ laboratórios, museus, bibliotecas, exposições artísticas e científicas, etc._ com uma atuação docente que evite sentimentos de supervalorização ou rejeição de idéias, além de atividades de apoio paralelo, com Professor de Recursos, para que a aluna mantenha a motivação, ajude-a no avanço das suas potencialidades e no alcance dos seus objetivos. Neste contexto, oportunizar atividades específicas de aprofundamento, criação e enriquecimento das suas habilidades, num salto qualitativo, através de estudos de campo, intervenções e análise de vários assuntos.
Oportunizar um plano de trabalho em Sala de Recursos é uma experiência engrandecedora e de enorme ressignificação (inclusive para os profissionais envolvidos) visto que normalmente, diante da disponibilidade e conhecimento do professor, alunos perfil em altas habilidades/superdotação sentem-se valorizados, sobretudo, motivados em atingir a maestria nos seus desempenhos.
Recomendações:
A aluna em questão apresenta alta habilidade com traço criativo, pois, é visível no comportamento, expresso em diferentes linguagens (falada, gestual, matemática, interpessoal, teatral). Alternativas pedagógicas que a auxiliem no seu crescimento integral envolve um trabalho em sala de aula, tomando como base um plano diferenciado que favoreça as habilidades e promova o crescimento das suas potencialidades. Além de a possibilidade de intervenção/mediação/orientação com Professor de Recursos.
Parecer técnico-pedagógico embasado na Teoria dos Três Anéis de Renzulli:
Tomando como base a política de inclusão defendida pelo Ministério da Educação (2005), flexibilizações curriculares e instrucionais devem ser consideradas a partir de cada situação particular e não através de generalizações. Assim, considerando a proposta educacional de princípios voltados para o respeito à diversidade, à equidade e à dignidade no que tange a uma educação de qualidade. Urge que se promova um ambiente educacional que esteja preparado para reconhecer, intervir e estimular o potencial promissor dos alunos com altas habilidades/superdotação.
É importante salientar do avanço obtido nesse âmbito quando a iniciativa pública, desenvolvida a partir de 2005 no âmbito da SEESP/MEC, em parceria com a UNESCO e o FNDE, oferecem a implantação dos Núcleos de Atividades de Altas Habilidades/Superdotação (NAAHs) nos 26 estados e no Distrito Federal, que hoje se constituem em referência para o atendimento dessa população.
Mais recentemente, já em 2008, ressalta a elaboração, por grupo de trabalho de especialistas convidados pelas autoridades oficiais, e a divulgação, pelo MEC, do Documento Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva (BRASIL, 2008), em que os alunos com altas habilidades/superdotação são definidos como alvo de atendimento educacional especializado em todas as etapas e modalidades da Educação. Dentre outras importantes medidas e decretos anteriores a Resolução 04 de outubro de 2009 traz a implementação do Dec. nº 6.571/2008, que institui Diretrizes Operacionais para o atendimento Educacional Especializado na Educação Básica, modalidade da Educação Especial.
Inúmeras e específicas são as abordagens epistemológicas sobre o tema Superdotação, sobretudo, quando se toma como referência os outros países.
O modelo de enriquecimento proposto pelo educador norte-americano Joseph Renzulli (EUA), renomado pesquisador do Centro Nacional de Pesquisas sobre Superdotação e Talento da Universidade de Connecticut no EUA, adotado no Brasil, pela Secretaria de Educação Especial do Ministério da Educação, foi idealizado com o objetivo de tornar a escola um lugar onde os talentos fossem identificados e desenvolvidos. Fornece um programa de enriquecimento curricular que pode ser adotado não somente com alunos que apresentam altas habilidades/superdotação, mas também nas salas de aulas regulares. A concepção dos três anéis, proposta por Renzulli (1978, 1986, 1994), concebe superdotação como resultado da interação de três fatores:
• Habilidade acima da média
• Envolvimento com a tarefa
• Criatividade
Habilidade acima da média envolve tanto as habilidades gerais, que consistem na capacidade de processar informações, de integrar experiências que resultam em respostas adaptativas e apropriadas a novas situações e na capacidade de se engajar em pensamento abstrato (por exemplo, pensamento espacial, memória e fluência de palavras), quanto as habilidades específicas, que consistem na capacidade de adquirir conhecimento e habilidade para atuar em uma ou mais atividades de uma área especializada (tais como química, matemática, fotografia, escultura etc).
O segundo anel, envolvimento com a tarefa, se refere aos altos níveis de interesse, entusiasmo e fascínio na execução de uma atividade ou resolução de um problema. Neste sentido, o indivíduo envolvido com a tarefa estabelece um padrão de excelência de desempenho, desenvolve um senso estético acerca de seu trabalho e dos outros e pode ser descrito como perseverante, dedicado, autoconfiante, esforçado, trabalhador árduo e consciente de estar desenvolvendo um trabalho importante.
O terceiro anel, criatividade, diz respeito à fluência, flexibilidade e originalidade de pensamento, abertura a novas experiências, curiosidade, sensibilidade a detalhes e ausência de medo em correr riscos.
É necessário salientar que os anéis não precisam estar presentes ao mesmo tempo, ou se manifestar na mesma intensidade, ao longo da vida produtiva. O mais importante é que eles estejam interagindo em algum grau, para que um alto nível de produtividade criativa possa emergir (RENZULLI, 1986). Renzulli e Reis (1997) reconhecem que algumas habilidades e características associadas a superdotação podem se manifestar apenas quando o aluno estiver engajado em alguma atividade ou área de interesse.
Neste sentido, Renzulli (1978, 1986) defende a idéia de que deve haver uma mudança no enfoque das definições de superdotação de “ser ou não ser superdotado” para “desenvolver comportamentos superdotados”. Assim, a visão de superdotação como um fenômeno inato e cristalizado seria substituído por uma visão mais dinâmica e flexível, levando-se em consideração a importância da interação entre indivíduo e ambiente no desenvolvimento de comportamentos superdotados.
O caso da aluna em análise apresenta características comportamentais de uma criança com altas habilidades, como foi sinalizado anteriormente. Um exame específico, com enquadramento na Teoria dos Três Anéis, logo poderá apontar para um diagnóstico positivo, visto que os aspectos como: habilidade acima da média, envolvimento com a tarefa e criatividade são elementos que preponderam no histórico pessoal e acadêmico da aluna.
Portanto, cabem medidas que alicerce o desenvolvimento de trabalho um pedagógico/psicopedagógico com professores capacitados, bem orientados e uma equipe multidisciplinar com condições de orientar e intervir para o desenvolvimento integral dessa aluna e de outros alunos que mesmo não apresentando características, habilidades similares tenham apoio e mediação adequada ao crescimento cognitivo/afetivo e na evolução das suas potencialidades.
REFERENCIAIS BIBLIOGRÁFICOS:
ANDRÉS, Aparecida. Educação de alunos Superdotados/ Altas Habilidades. Legislação e normas Nacionais, Legislação, Internacional. Consultoria Legislativa da área XV Educação, Cultura e Desportos, Brasília, Fevereiro/2010.
ALENCAR, E. S. Como Desenvolver o Potencial Criador. Editora Vozes, 5ª edição, Petrópolis – RJ, 1998.
ALENCAR, Eunice Soriano de, FLEITH, Denise Souza. Superdotação: determinantes, educação e ajustamento. 2ª edição. São Paulo: EPU/2001.
BRASIL. Lei 9394 – LDB – Lei das Diretrizes e Bases da Educação, de 20 de dezembro de 1996.
DECRETO Nº. 6.571, de 17 de setembro de 2008, que dispõe sobre o Atendimento Educacional Especializado.
DUTRA, C. P. et al. A Construção de Práticas Educacionais para Alunos com Altas Habilidades / Superdotação – Volume 2: Atividades de Estimulação de Alunos. Ministério da Educação – Secretaria de Educação Especial, Brasília – DF, 2007.
FLEITH, Denise S. (Organizadora) A Construção de Práticas Educacionais para Alunos com Altas Habilidades/Superdotação: Vol 01: Orientação a professores. EC. Brasília, 2007
______. (Organizadora) A Construção de Práticas Educacionais para Alunos com Altas Habilidades/Superdotação: Vol 02: Atividades de Estimulação de Alunos. MEC Brasília, 2007
______. (Organizadora) A Construção de Práticas Educacionais para Alunos com Altas Habilidades/Superdotação: Vol 03: O Aluno e a Família. MEC Brasília, 2007
GUENTLER, Z. C. Desenvolver Capacidades e Talentos – um conceito de inclusão. Editora Vozes, Petrópolis – RJ, 2000.
KNELLER, G. F. Arte e Ciência da Criatividade. IBRASA, 13ª edição, São Paulo - SP, 1998.
OSTROWER, F. Criatividade e Processos de Criação. Editora Vozes, 10ª edição, Petrópolis – RJ, 1994.
RENZULLI, J. S. O que é esta coisa chamada superdotação, e como a desenvolvemos? Uma retrospectiva de vinte e cinco anos. Educação. Tradução de Susana Graciela Pérez Barrera Pérez. Porto Alegre – RS, ano XXVII, n. 1, p. 75 - 121, jan/abr. 2004.

RENZULLI. J.S. The Three-ring Conception of Giftedness: A Developmental Model for Creative Productivity. Em J.S. Rezulli & S.M.Reis (Org) The Triad Read. (pp. 2-19) Mansfield Center, CT: Creative Learning Press, 1986.

RODRIGUES, Ângela M. R. V. Altas Habilidades/Superdotação: Encorajando Potenciais. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Esplanada dos Ministérios. Bloco L, 6º Andar.

A ENTREGA DO SABER: Um Pensar Psicopedagógico (Seilla Carvalho)


Convergência e sinergia... nos tempos e espaços!
É o que reclama o desejo e o esforço do aprende e ensinar para a liberdade e a eqüidade.
Com consciência... sentir e compreender os significados envolvidos no segredo da vida em cada lugar onde objeto-sujeito do conhecimento revela a harmonia de sua incompletude.
E, nas reaprendências desse movimento perceber que com a poesia da criação tudo se renova a cada rol de vivências criativas da suposta incoerência do pensar.
Nessa dança paradoxal e apaixonante composta de ensinantes e aprendentes tudo é respiração, inspiração da autêntica entrega e surpresa no compartilhamento de sentidos.
Cadê o gérmen das autorias? Na ousadia, na coragem, no desejo e na alegria de ensinar gente a descobrir-se e construir roteiros e trajetos singulares rumo ao desvelamento da ciência do saber com consciência.
Por uma pedagogia do auto-encontro! É o clamor de quem educa com amorosidade no mundo atual. De quem educa num espaço transdisciplinar, habitado no todo que comporta a cidadania humana e planetária dos múltiplos ritmos para a dança das diferenças e das vozes distantes.

Terra! O nosso habitáculo celestial, a nossa casa, a nossa escola... esse é o lugar para desenvolvermos a capacidade de viver os encontros
com as nossas inúmeras e insuspeitas sapiências, como uma via amorosa de crescimento com o outro que habita em cada um de nós.

No aqui-agora, nos espaços, formas e tempos multivivenciais, temos seres em conexão e gente aprendendo a ser Gente: idosos, adultos, jovens, adolescentes, crianças, fetos, embriões...

Todos, envolvidos na mesma 'Teia de Relações' vivenciadas nos pensamentos, sentimentos e energias... tecida na mesma história universal de singularidades.

Na dinâmica dessas realidades acontece a potencialidade para autorizar-se a partir de uma Pedagogia voltada para a mediação do pensamento, para o compartilhar de idéias, para a permissão do que é autêntico naquele que apreende o caminho e ressignifica-o em novos caminhares.

Uma Pedagogia que remova o pó das prateleiras onde descansam as idéias de um antigo pensar; importantes, porém, encerradas e perdidas num paradigma contextualizado num outro tempo-espaço de elaboração.

Que venha, sobretudo, uma Pedagogia que incluao olhar que não entendemos; a voz que não sabemos dizer; o fazer, por nós, incompreendido.
Pois, jaz enviesado em outras vias!

O exasperante ritmo que paralisa ou mobilizaas nossas ansiedades; o pensar articulado num labirinto de objetividades e subjetividades vistas como descabidas... mas, enfim, únicas!

Que sejamos arautos incansáveis daquilo que traz a ressonância benéfica da transformação, que aponta como um sinal, que se delineia no horizonte e que se forma nas movimentadas periferias das autorias de pensamento.
É desse movimento...
Do ensinar a aprender na permissão do pensar realizador que poderão ser viabilizadas novas composições de indivíduos atuando proativamente sobre as banalidades cotidianas de uma sociedade, de um mundo revestido pelo discurso sedutor das pseudo-igualdades.

terça-feira, 24 de abril de 2012

V Congresso Brasileiro Sociopsicomotricidade Ramain-Thiers


Temos o prazer de apresentar a programação do nosso V Congresso Brasileiro Sociopsicomotricidade Ramain-Thiers, que será realizado na cidade de Recife (PE), no período de 06 a 08 de setembro de 2012. O Congresso apresenta como tema “Ramain-Thiers na Ciranda da Vida: a harmonia entre o pensar, sentir e agir”, no qual será abordado o ser humano quanto às suas relações consigo mesmo, com o outro e com o meio ambiente, na busca da harmonia sustentável, no mundo globalizado da multimídia e das redes sociais.
 PROGRAMAÇÃO
 06/09/12: Quinta-feira
 16:00h às 19:00h: Entrega de credenciais
 19:00h às 19:30h: Cerimonial de abertura
 19:30h às 20:30h: Palestra de abertura: Sonia Aroucha (PE)
 1.Ramain-Thiers na ciranda da vida
  20:30h às 21:30h: Apresentação cultural pernambucana
 21:30h: Coquetel
 07/09/12: Sexta-feira
 8:00h às 10:00h: MINI-CURSOS
 1. Maria da Graça Conceição (PR):
 Na ciranda da vida: Ramain- Thiers estimula a neuroplasticidade e amplia a resiliência.
 2. Martha Lovisaro (RJ):
 Transpsicomotricidade: uma tecedura psico-socio-etnoergopsicomotora
 3. Regina Morizot (RJ):
 A inserção da família na clínica psicomotora
 10:00h às 10:30h: Intervalo para um cafezinho e um olhar artístico
 10:30h às 12:00h- MESA REDONDA
 1.  DINÂMICA FAMILIAR
 Suzana Schettini (PE): Adoção na contemporaneidade
 Regina Sobreira (PE): Luz, câmara e ação
 Ana Cabral (PE): (título em aguardo)
 Socorro Tenório (AL): (título em aguardo)
 2.  O MUNDO VIRTUAL
 Fátima Alves (RJ): O ser humano e suas relações, na busca da harmonia sustentável consigo mesmo, com o outro, com o meio ambiente, no mundo globalizado da multimídia e das redes sociais
 Samara Nick (MG): Mundo Virtual
 Carlos Brito (PE): A Criança, a Família e a Escola no século XXI: um convite à reflexão
 Sandra Arraes (PE): Efeito das redes sociais nos jovens
 10:30h às 12:00h- VIVÊNCIA
 1. Silvana Omena (PE) e Lucijane Lôbo (PE): Memória do corpo vivido: na harmonia do pensar, sentir e agir
 2. Patrícia Fonseca (MS): O corpo, primeiro lápis da criança!   
 12:00h às 14:00h: ALMOÇO
 14:00h às 15:00h: PALESTRAS
 2. Eliana Júlia Garritano (RJ): Adolescência: caminho entre o amor impossível e possíveis amores
 3. Lícia Almeida (SE): A contribuição da Sociopsicomotricidade Ramain-Thiers no tratamento das disfunções sexuais femininas
 15:00h às 16:30h- MESAS  DE CASOS CLÍNICOS
 1. CASOS CLÍNICOS
 Mara Lutz (MS): Identidade pessoal x Identidade Profissional
 Benilde Farias (PI):  A sociopsicomotricidade no atendimento de um adolescente com indícios de Disgrafia
 Verônica Wú (PE): Sociopsicomotricidade Ramain-Thiers: um recurso na terapia cognitiva com a terceira idade
 Cleide Costa (BA): Uma caminhada: a transformação da vida em busca da singularidade e harmonia
 2.   CASOS CLÍNICOS
 Ana Paula Figueiredo (PE): O método Ramain-Thiers nos transtornos da lateralidade
 Scheila Fontes (BA): Ramain-Thiers e a constituiçao do sujeito
 Elen Márcia (MG): Ramain-Thiers- possibililidade de mudanças… Nova Vida, Nova Mulher
 Jussara Orlando (DF): A clínica analítica com sujeitos crianças: depois da angústia da separação dos pais
 15:00h às 16:30h- VIVÊNCIAS
 3.  Margot Duarte (PE): Em busca da flor interna
  4. Genivaldo Macário (CE): Atelier do corpo: a escuta de si mediado pelo movimento
  16:30h  às 17:00h- COFEE BREAK
 17:00h às 18:00h- PALESTRAS
 4. Cristiane Braga (MG): Olhos de ver
 5. Viviane Giritto (RJ): (título em aguardo)
 18:00h às 19:00h- PALESTRAS
 6. Marilene Kovalski (MS): O corpo falante e seus enigmas
 7. Leila Vasconcelos (PE): Harmonia do ser: do existir ao viver         
 08/09/12: SÁBADO
 8:00h às 10:00h- MINI- CURSOS
 4. Sandra Arraes (PE):
 Ramain-Thiers e filosofia
 5.  Eleide Felix (MS):
 Ramain-Thiers na ciranda do relacionamento conjugal
 6.  Eliana Júlia Garritano (RJ):
 Corpo e Psicanálise: uma interpolação em Ramain-Thiers
 10:00h  às 10:30h- Intervalo para o cafezinho e um olhar artístico
 10:30h  às 12:00h- MESA REDONDA
 3. ADOLESCÊNCIA
 Jailde Medeiros (AL): As relações afetivas e o processo ensino aprendizagem do adolescente
 Jeane Araújo (MS): (título em aguardo)
 Graça Cunha (PE): Da infância à adolescência: em busca de si mesmo
 Elaine Thiers (RJ): As transformações no adolescente e suas consequências
                                         4. VIDA ADULTA
 Simone Bérgamo (PE): (título em aguardo)
 Antonieta Cavalcanti (PE): Como quero envelhecer?
 Janet Carrer (GO): Viver em grupo na terceira idade
 Tereza Cristina Marinho (BA): Tudo é possível ?
 10:30 às 12:00h- VIVÊNCIAS
 5. Thereza Monnerat (SE): O aroma traduzindo emoções
 6. Priscila Lima (DF): Revoada das borboletas           
 12:00h às 14:00h-  ALMOÇ0  
 14:00h às 15:00h- PALESTRAS      
 8. Leila Maggio (RJ): Violência e sintomas contemporâneos
 9. Alice Resende (PI): As relações parentais como fator preponderante na constituição do sujeito
 15:00h às 16:30h- MESAS DE CASOS CLÍNICOS
 3. CASOS CLÍNICOS
 Lídia Loreto (PE): Sociopsicomotricidade Ramain-Thiers na elaboração do Complexo de Édipo: caso clínico de ideais de Ego na relação fraterna
 Ana Nery (PE): Quem disse que as rosas não falam?
 Letícia Andrade (GO): (título em aguardo)
           4. CASOS CLÍNICOS
 Sonia Loreto de Miranda (PE): Caso clínico de Disgrafia com intervenção da Sociopsicomotricidade Ramain-Thiers integrada à Fisioterapia
 Maria do Carmo Domingues (PE): Ser mãe na ciranda da vida: pensando,   sentindo e agindo.
 Elenise Roldan (MS): Terceira idade?
 15:00h às 16:30h- VIVÊNCIAS
 8. Karenina Azevedo (BA): Ciranda e cirandinha, resgatando o sagrado infantil
 16:00h às 17:00h- COFEE BREAK
 17:00 às 18:00h- PALESTRA DE ENCERRAMENTO
 Solange Thiers (RJ): Cirandeiros do sentir

 APRESENTAÇÃO  CULTURAL :    CIRANDA PERNAMBUCANA

 INVESTIMENTOS:
 Valores das inscrições
 Categorias Até 30/04/2012 Até 30/06/2012 Após 30/06/2012
 Estudante R$ 200,00 R$220,00 R$250,00
 Sócio ABRT R$220,00 R$250,00 R$280,00
 Profissional  R$300,00 R$350,00 R$380,00

 A inscrição pode ser realizada através de depósito bancário, à vista:
 Banco: 033 (Banco Santander)
 Agência: 3295. Conta Corrente: 01-000038-5.
 Abigail de Souza Duarte Pereira

 O comprovante de depósito deve ser escaneado e enviado ao email: congressoramainthiersrecife@gmail.com, juntamente com a ficha de inscrição preenchida (veja abaixo).
 O valor da inscrição pode ser parcelado em até três vezes em cheques pré- datados, nominal a Abigail de Souza Duarte Pereira, a serem enviados para o seguinte endereço: Av. Visconde de Albuquerque, 836. Madalena. Recife- PE, CEP: 50610-090. Igualmente com a ficha de inscrição.
 Quanto à inscrição dos associados da ABRT, informamos que o valor do desconto para a primeira data de inscrição é o recibo referente a 2011 e o recibo de 2012 valerá para a segunda data de inscrição. Para cumprimento do regulamento, todos devem apresentar o recibo escaneado e enviar para congressoramainthiersrecife@gmail.com.

 Maiores informações entrem em contato diretamente conosco, através do e-mail: congressoramainthiersrecife@gmail.com ou pelos telefones de:

 • Sônia Aroucha:
   081 | 99511292 (TIM)
   081 | 91867678 (CLARO)
 • Sônia Loreto:
 081 | 97086723 (CLARO)
 • Margot Abigail Duarte
 081 |93011953 (CLARO)

 LOCAL DO CONGRESSO E HOSPEDAGEM
 O congresso será realizado nos salões de eventos do Hotel Park.
 Rua dos Navegantes, 09. Boa Viagem-Recife-PE- Tel.(081) 2122-4602.
 O Hotel oferece aos congressistas os seguintes valores para hospedagem:
 Apto. Single- R$ 234,00
 Apto. Doublé- R$260,00
 Apto. Triplo- R$325,00
 Hospedagem com café da manhã incluso + 5 % de taxa de serviço.
 RESERVAS, PASSEIOS E EXCURSÕES:
 BJ TURISMO (BUREAU DE TURISMO):
 Fones: 81- 34214882/ 81-32222427
 Email:  grupos@bureaudeturismo.com.br
 FICHA DE INSCRIÇÃO
 NOME:_________________________________________________________
 ENDEREÇO:_____________________________________________________
 CEP.:_________________________ BAIRRO:__________________________
 CIDADE:__________________________________ UF.:__________________
 FONE RES.: (__)_________________ CELULAR: (__)___________________
 E-MAIL:_________________________________________________________
 PROFISSÃO:____________________________________________________
 SÓCIO ABRT: (    ) SIM          (    ) NÃO
 FORMA DE PAGAMENTO:
 (    ) À VISTA, POR DEPÓSITO BANCÁRIO
 (    ) À VISTA, EM DINHEIRO OU CHEQUE (NO INTEGRE)
 (    ) PARCELADO 3X CHEQUES NOMINAIS
 Realização: Núcleo Ramain-Thiers de Recife | Organização: ABRT - Associação Brasileira Ramain- Thiers

FORMAÇÃO EM ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL COM ÊNFASE EM TÉCNCIAS EXPRESSIVAS

Programa:

• Da Orinetação Vocacional àOrientação Profissional e Ocupacional: mudando osparadigmas
• Ciclos Arquetípicos e CírculoPsico-Orgânico: fases do desenvolvimento do sujeito
• A Atualização da ImagemArquetípica do Herói na busca da profissão
• Auto Imagem, Auto Estima eAuto-Conceito: percepção, construção etransposição em termos profissionais
• Percurso Pessoal e Escolha Profissional:resgatando a própria história no processo de escolha
• FunçõesPsíquicas na Escolha Profissional
• Descobrindo o Perfil Pessoal
• A família no processoda escolha profissional
• Transpossição dasProjeções: entre o Real e o Desejo
• Eion X Kronos X Kairós: o tempo esuas interferências no processo
• As múltiplas opções douniverso profissional: ampliando o olhar
• Visão Prospoectiva emOrientação Profissional
• A OrientaçãoProfissional/Ocupacional em diferentes momentos da vida: a escolha doAdolescente, do Adulto Jovem, do Adulto Maduro, do Aposentado
• O percurso do trabalho comgrupos de Orientação e Individualmente
• Técnicas e InstrumentosDiversos para cada fase do Processo
• A utilização de jogos voltadospara a temática da escolha e o do perfil profissional
• Os Cinco Passo Para o Real naOrientação Profissional
• O luto na escolhaprofissional/ocupacional
• O Processo de Orientação emgrupos com questões específicas: adolescentes abrigados,doentes crônicos e outros
• O Acompanhamento Pós Processo:quando, como e prá quê
• Encaminhamento para outras abordagens epropostas
• A Posturado Terapeuta Frente ao Processo
• Estudos de Casos
• Prática Supervisionada
Metodologia:
 O curso tem caráter teórico,vivencial e prático, sendo desenvolvido através de aulasexpositivas, vivências expressivas, jogos interativos,apresentação e estudos de casos, discussão defimes.
Duração da Carga HoráriaTeórica Vivencial: 24meses

EstágioSupervisionado: 80 H
Horário: quarta feira das 19:00 às 21:30 h

 Local: Copacabana

 PúblicoAlvo:
 Profissionais eEstudantes de Psicologia, Pedagogia, Psicopedagogia, Arteterapia,Orientadores Profissionais em busca de reciclagem, outros que desenvolvamtrabalhos ligados à Orientação Profissional ePreparação para Aposentadoria.
Investimento:
24 parcelas de R$ 380,00
(desconto de 10%para pagamentos realizados até o primeiro dia do mês e 20%para alunos e ex-alunos da Formação de Terapeutas emArteterapia do Incorporar-te)
Supervisão:
Valor estipulado de acordo com o campo deestágio e estrutura do processo escolhido por cada aluno.
Certificado com 75% de presença ecumprimento da carga horária de EstágioSupervisionado.

Organização:
Incorporar-te: EspaçoTerapêutico Corpo Artes

Coordenação: Ana LuisaBaptista
 Psicóloga - 05/23146; Arteterapeuta (AARJ -reg. nº 022);
PsicoterapeutaCorporal em Psicologia Biodinâmica e AnálisePsico-Orgânica pelo CEBRAFAPO/EFAPO;
Psicoterapeuta de Casais em AnálisePsico-Orgânica pela EFAPO;
Especialista em Psicologia Junguiana peloIBMR;
Coordenadora doIncorporar-te: Espaço Terapêutico Corpo Artes;
Coordenadora dos ProgrmasArteterapêuticos de Humanização Hospitalar eOrientação Profissional implantados na EnfermariaPediátrica e na Onco-Hematologia Pediáreica doHFSE/RJ;
Co-Coordenadora dosAtendimentos Arteterapêuticos do Instituto Brasileiro deReabilitação Médica – IBRM/RJ;
Autora dos Projetos: Formas Marias de Ser:uma discussão acerca da identidade feminina; Autoria deContação de Histórias: o jogo e a arte no adolescercom câncer, premiados no IX Congresso Brasileiro de Psico-Oncologia eII Encontro Internacional de Psico-Oncologia e Cuidados Paliativos,São Paulo: 2006;
Assistente Pedagógica das Aldeias InfantisSOS Brasil, de 1998 a 2000, desenvolvendo projetos arteterapêuticosvoltados para a orientação profissional,inserção de jovens no mercado de trabalho, oficinasarteterapêuticas com enfoque psico-pedagógico paracrianças, capacitação e orientação deeducadores sociais;
Coordenadorado Projeto de Atendimentos Acessíveis no RJ, SC e PR e do Home CareTerapêutico do Incorporar-te;
Membro daComissão de Ética (2010) e da Comissão de Site eMídias Sociais (2011-2013) da AARJ;
Membro da SBPO: Sociedade Brasileira dePsico-Oncologia;
Coordenadora eFormadora de Terapeutas em Arteterapia desde 1996, com turmas no RJ, SC ePR;
Autora do livro InfantoJuvenil Segredos do Coração. Ilustrações deMárcia Széliga. Espheris Edições: Curitiba, PR- 2010.

Informações eInscrições:
(21)3062-3400/96747595

www.incorporarte.psc.br
at@incorporarte.psc.br

 Inscrições Antecipadas
(VagasLimitadas)

domingo, 22 de abril de 2012

APRIMORAMENTO EM DISLEXIA E DISTURBIOS DE APRENDIZAGEM

Coordenação: Jaime Zorzi
Especialista em Linguagem; Mestre em Distúrbios da Comunicação – PUC SP; Doutor em Educação – UNICAMP

INICIO EM JUNHO

OBJETIVO
O objetivo deste curso é o de abordar o tema dislexia e distúrbios de aprendizagem a partir da visão de especialistas experientes, com enfoques múltiplos e interdependentes que permitam uma compreensão ampla, e ao mesmo tempo aprofundada, dos fatores determinantes de tais alterações e dos caminhos possíveis para intervenções mais precisas.
Você que é fonoaudiólogo, educador, psicopedagogo, psicólogo, médico ou outro profissional envolvido com o desenvolvimento e com a aprendizagem encontrará neste curso
uma possibilidade para aprofundar e integrar conhecimentos atuais sobre tema tão desafiador.

CORPO DOCENTE PREVISTO
Jaime Zorzi;  Simone Capellini ; Inês Abranches;  Telma Pantano;  Rubens Wajnsztejn;  Simone Capellini;  Maura Sanchez;  Cintia Salgado;  Marcia Toledo;  Flavia Benevides Foz

PROGRAMA
Questões e desafios atuais na área da aprendizagem e dos distúrbios que afetam a       leitura e a escrita: Conceitos e aspectos interdisciplinares
Avaliação e diagnóstico neuropsicológico nos distúrbios
de aprendizagem e dislexia
Avaliação e disgnóstico fonoaudiológico. nos distúrbios
de aprendizagem e dislexia
Intervenção Fonoaudiológica: Programas de Remediação
Avaliação, diagnóstico neurológico e achados em neuroimagem nos distúrbios de       aprendizagem e dislexias
Avaliação e disgnóstico psicopedagógico. nos distúrbios
de aprendizagem e dislexia
Distúrbios da atenção, hiperatividade. e memória nos transtornos da aprendizagem da       leitura e escrita I
Distúrbios da atenção, hiperatividade. e memória nos transtornos da aprendizagem da       leitura e escrita II
Processamento auditivo, audição e distúrbios da ling. oral e escrita
Programas de Intervenção nas alterações da Leitura e Escrita I
Discalculia e aprendizagem da matemática
Programas de Intervenção nas alterações da Leitura e Escrita II
Alfabetização de crianças com problemas de aprendizagem: Consciência fonológica e o       emprego de abordagens fônicas
Tratamento das disortografias
Processamento Visual

INFORMAÇÕES
Tels.:( 21)  2247-6018 / 2287-0696 / 8880 6018
www.fonotrade.com.br
cefacrio@terra.com.br

CURSO DE ORATÓRIA CONTEMPORÂNEA:

                     
         "A Eficácia da Comunicação Pessoal e Profissional"

           LOCAL: Rua Visconde de Piraj'a, 4/403
           DIAS: 11/5; 18/5; 25/5 e 1/6/12 (sexta-feira)
           HORÁRIO: 18:00 às 21:30 h
           VAGAS LIMITADAS: 05 a 07 participantes

PÚBLICO ALVO:
Advogados,professores, gestores e demais profissionais que utilizam a voz no exercício daprofissão

OBJETIVOS:
Comunicar-secom naturalidade;
Aperfeiçoare valorizar a importância da comunicação na esfera pessoal e profissional;
Aprimorara arte da oratória contemporânea de forma calorosa e eficaz;
Transformaros medos e inseguranças de falar no prazer de comunicar e dialogar
Desenvolver a percepção de si e de seu corpo,aumentando a auto-confiança

METODOLOGIA:
exercícios práticos  de expressividade (expressão corporal,gestual, modulação da voz e dicção) para que o aprendizado se processe de formadinâmica.

FACILITADORAS:
CELIA REGINA GALVÃO - CRFa. 2567/RJ
Fonoaudióloga - Especialista em Voz
Coordenadora na ESTAÇÃO DA VOZ
Responsável técnica pelo setor de Fonoaudiologia no CIS - Centro Integrado de Saúde

GIOVANNA MAZZONI - CRP 33613
Psicóloga com formação em Análise Bioenergética
Fonoaudióloga com especialização em Voz
Psicomotricista

                        CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
                        O ensino será realizado através de exercícios práticos para que o aprendizado se processe de forma dinamica e com melhor aproveitamento.  
                        Os participantes serão avaliados e orientados caso haja a necessidade de um acompanhamento personalizado após o término do curso.
                        O programa básico a seguir é adequado às necessidades do grupo

                          
                            PROGRAMA CURSO DE ORATÓRIA

                           Higiene Vocal - Conscientização da postura, da respiração e do gesto em harmonia com a fala
                           Como administrar o medo, falar com desenvoltura e sem inibição.
                           Como lidar com perguntas embaraçosas e respondê-las com segurança.
                           Como contornar o "branco".
                           Como manter a fala equilibrada e agradável, independente das reações emocionais.
                           Conquistar públicos hostis e indiferentes
                           O uso do humor, da emoção e da criatividade.
                           Técnicas de projeção de voz e de dicção com precisão e naturalidade.
                           Técnicas de colorido e inflexão da palavra falada.
                           O planejamento de palestras de sucesso.
                           Ordenar apresentações com a lógica do conteúdo e criatividade.
                           Planejamento de apresentações profissionais.
                           Dirigir e participar de reuniões.
                           Pesquisa do uso de palavras adequadas às apresentações.
                           Eliminar os vícios de linguagem.

MAIORES INFORMAÇÕES / INSCRIÇÕES:
estacaodavoz@gmail.com
 (21) 9404-0712







TÉCNICAS EXPRESSIVAS NO TRABALHO COM CRIANÇAS

(Iniciação)

• A criança e a Arte
 • A Arte no processoterapêutico
 • Desenvolvimento da criança pelodesenho
 • Utilização e técnicas demateriais de artes plásticas adequados a diferentes faixas
   etárias
 • O uso de Músicas no processo terapêutico infantil
 • A Expressão Corporal da criança
 • Práticas de jogolúdicos corporais no processo arteterapêutico
 • A Literatura Infantil na Arteterapia: uso e escolha de histórias
• Desenvolvimento da criança pelo jogo dramático
• Prática de Psicodrama com crianças
 • AVivência Arteterapêutica com Crianças

Organização:
Incorporar-te: EspaçoTerapêutico Corpo Artes

Local: Copacabana
Data:s 26 e 27 de maio de 2012 (sábado e domingo)
Horário: 9:00 às 18:30 h
Carga Horária: 16  h
Investimento: 1 parcela de R$ 180,00 ou 2  parcelasde R$ 100,00 (a primeira paga no ato da inscrição e a segundacom cheque  pré para o 1º dia de aula).
Coordenação: CarolinaNani
Psicóloga (CRP:05/23215);
Arteterapeuta credenciada à Associaçãode Arteterapeutas do Rio de Janeiro – AARJ:
 reg. 163;
Especialista em Gerência de Programa Social pela FESP-UFRJ;
Psicoterapeuta Corporal em Psicologia Biodinâmica e AnálisePsico-Orgânica pela EFAPO – École Françaised’ Analyse Pshyco-Organique e pelo CEBRAFAPO – CentroBrasileiro de Formação em AnálisePsico-Orgânica;
Arteterapeuta especialista no trabalho com a3ª Idade através do Ateliê Lígia Diniz;
Fundadora e Coordenadora do Incorporar-te: Espaço TerapêuticoCorpo Artes;
Co-coordenadora dos Programas Arteterapêuticos deHumanização Hospitalar e OrientaçãoProfissional implantados na Enfermaria Pediátrica e naOnco-Hematologia Pediátrica do Hospital Federal dos Servidores doEstado do Rio de Janeiro - HSFE/ RJ;
Coordenadora dos Atendimentos emArteterapia do Instituto Brasileiro de ReabilitaçãoMédica – IBRM/RJ;
Docente Universitária –UNESA;
Coordenadora dos Projetos: Atendimentos Acessíveis emArteterapia (RJ, SC e PR), Leituras Simbólicas da SétimaArte, Encontros Arteterapêuticos e do AcompanhamentoTerapêutico do Incorporar-te;
Coordenadora do curso deFormação em Gestão de Grupos Através daArteterapia do Incorporar-te;
Coordenadora dos cursos deFormação de Terapeutas em Arteterapia do Incorporar-te desde2000, com turmas no Rio de Janeiro, Florianópolis eCuritiba.

Informações e Inscrições:
21 -  34736881/96747595
at@incorporarte.psc.br

OutrasInformações sobre o  Incorporar-te:
www.incorporarte.psc.br
Orkut: www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cm m=9257238
FB: http://pt-br.facebook.com/people/Incorporar-te-Espaco-Terapeutico/100001642369688
Inscrições Abertas
Vagas Limitadas